Encapsulamento Macrobiótico

Um novo tratamento capilar que promete mudar a sua cabeça…literalmente

Já pensou se existisse nutricionista capilar? Ou nutrólogo capilar? E se fosse um médico só para cabelo? Demais, não acha?! Se temos algum problema capilar hoje em dia nós procuramos um dermatologista. Essa especialidade está mais acostumada a tratar problemas como caspa e queda de cabelo.
Mas ter alguém para cuidar somente dos fios adiantaria muita coisa. Dinheiro com produtos desnecessários, por exemplo. Quem nunca testou diversos shampoos, condicionadores, hidratações no cabelo até encontrar um que fosse realmente a solução? E tem gente que ainda está em busca do cosmético perfeito para a madeixa.
Os cabeleireiros são os principais especialistas a ajudar com orientações quando a dúvida é: o que usar? Mas cuidar do cabelo pode ser um pouco mais complexo. É algo que deve ser estudado.
O ideal é identificar quais nutrientes estão faltando, qual a carência dos fios, de quais vitaminas específicas eles precisam. E eu vou te contar que já existe um tratamento onde é possível fazer esse tipo de análise.
girl-1733352_1920-300x200 Encapsulamento Macrobiótico
Encapsulamento macrobiótico: mais um tratamento que promete ressaltar os fios e mantê-los intactos.
Já ouviu falar do encapsulamento macrobiótico? Esse novo tratamento tem sido adotado e, inclusive, aprovado por atrizes.
O método proporciona exatamente o que faltava: analisar o fio para identificar o que está faltando e, com base nessa conclusão, criar uma fórmula a ser aplicada. Os principais componentes utilizados nas fórmulas, são: queratina; óleo Kumarika; aloe vera e centella asiática.
O hairstylist Vitor Avanti, do Carpe Private by Vitor Avanti, explica que “o encapsulamento consiste em colocar esses ativos no sentido contrário das escamas dos cabelos e inverter, encapsulando-as”. O tratamento, que custa a partir de 300 reais, deve ter uma manutenção quinzenal, a princípio, e é indicado para os fios ressecados. Proporcionando mais brilho e maciez às madeixas.
Por Bárbara Guerra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *